Funai recomenda que indígenas da fronteira fiquem nas aldeias devido ao coronavírus, em RO – Guajara Hoje

Funai recomenda que indígenas da fronteira fiquem nas aldeias devido ao coronavírus, em RO

Fundação Nacional do Índio (Funai), em Guajará-Mirim. — Foto: Lena Mendonça/Rede Amazônica

A Coordenação Regional da Fundação Nacional do Índio (Funai), em Guajará-Mirim (RO), realiza algumas medidas para que os indígenas da região de fronteira possam se prevenir do novo coronavírus. Com quase seis mil índios, o município concentra a maior população indígena de Rondônia.

Segundo João Soares, coordenador regional, a principal recomendação é para que os indígenas permaneçam nas aldeias. “Nós cancelamos as saídas dos indígenas para fora de Guajará, assim como estamos restringindo qualquer contato deles, com os bolivianos. Estamos pedindo pra que eles evitem vir para Guajará e não saiam de suas aldeias”, enfatizou.

O coordenador destacou ainda que no próximo dia 23 de março estava marcada uma viagem do Barco Hospital Walter Bártolo para atendimentos e serviços de saúde nas aldeias que ficam ao longo do Rio Pacaás Novos. Porém foi cancecalada devido a pandemia do Covid-19.

“Nós cancelamos a viagem do barco mesmo sabendo que ela é importante para os índios. Entretanto, a viagem promoveria o contato de vários profissionais da saúde, incluindo médicos e dentistas do Exército”, disse.

Atualmente, a Funai tem sob jurisdição seis terras indígenas na região de fronteira: Igarapé Lage, Pacaás Novos, Rio Guaporé, Sagarana, Rio Negro Ocaia, localizadas em Guajará-Mirim; e Igarapé Ribeirão, localizada em Nova Mamoré.

Juntas, as TIs concentram 46 aldeias, com indígenas de 25 etnias, onde a grande maioria das tribos são os Pacaás Novos (Oro Wari).

Onde procurar ajuda?

O secretário estadual de saúde, Fernando Máximo, recomendou que a população priorize o isolamento. Apresentando os sintomas de coronavírus o correto é ligar para o Disk Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs), que atende em todo estado pelo 0800 642 5398. Em Porto Velho também está disponível a linha 0800 647 1010.

Um dos casos investigados pelas autoridades é de uma criança de Vilhena que retornou de uma viagem dos Estados Unidos e apresentou sintomas do novo coronavírus. Com a suspeita de coronavírus na cidade, o Hospital Regional suspendeu visitas na unidade pelos próximos 30 dias.

Em entrevista coletiva à imprensa, o secretário Fernando Máximo ressaltou que não existe caso confirmado em Rondônia.

Dicas de prevenção ao coronavírus

  • Cobrir a boca e nariz ao tossir ou espirrar;
  • Utilizar lenço descartável para higiene nasal;
  • Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal;
  • Limpar regularmente o ambiente e mantê-lo ventilado;
  • Lavar as mãos por pelo menos 20 segundos com água e sabão ou usar antisséptico de mãos à base de álcool;
  • Deslocamentos não devem ser realizados enquanto a pessoa estiver doente;
  • Quem for viajar aos locais com circulação do vírus deve evitar contato com pessoas doentes, animais (vivos ou mortos), e a circulação em mercados de animais e seus produtos.

 

 

Por Lena Mendonça, Rede Amazônica

Please follow and like us:
error0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *