Novos arranha-céus feitos para ricaços mudam paisagem de NY – Guajara Hoje

Novos arranha-céus feitos para ricaços mudam paisagem de NY

À primeira vista, pode parecer que a ilha de Manhattan (coração de Nova York, nos Estados Unidos) não tem mais terrenos livres para construção de prédios altos. Mas o apetite do mercado imobiliário da Big Apple está grande e edifícios espelhados de até 95 andares são erguidos em locais onde nunca se imaginaria, desenhando o futuro da cidade

Esses arranha-céus residenciais são para poucos multimilionários. Os apartamentos mais baratos não custam menos de R$ 5,5 milhões (US$ 1,5 milhão)

Com 426 m, o edifício 432 Park Avenue, entregue em 2015, supera a altura do icônico Empire State Building (381 m). De longe, o espigão, em formato de retângulo de concreto cheio de janelas não tem como passar despercebido

O prédio de 88 andares ainda ostenta o título de torre residencial mais alta do hemisfério ocidental

São 125 apartamentos, incluindo uma cobertura de inicialmente vendida por R$ 352 milhões (US$ 95 milhões) 

As vistas são completamente desobstruídas para quem está disposto a pagar mais caro para morar nos andares mais altos

No ano que vem, o posto de maior torre residencial será da Central Park Tower

O edifício terá 95 andares e 179 unidades residenciais

A cobertura, cujo preço poderá ultrapassar US$ 100 milhões, quase meio bilhão de reais, terá 1.625 m² e uma das vistas mais incríveis do mundo

A Central Park Tower terá 473 m de altura e será o segundo edifício mais alto dos Estados Unidos, atrás apenas do One World Trade Center, também em Nova York, que possui 541 m

Também integra o novo horizonte de Nova York o One57, um dos primeiros dessa nova geração de arranha-céus — foi inaugurado em 2015

Assim como os demais, possui unidades com vista livre para o Central Park

O prédio possui 306 m, 73 andares, com 92 unidades residenciais e um hotel de luxo com 210 suítes

Hoje, as unidades disponíveis no mercado custam entre R$ 14 milhões (US$ 3,75 milhões) e R$ 100 milhões (R$ 27,1 milhões)

O metro quadrado da unidade mais barata custa, em média, R$ 174,6 mil (algo em torno de US$ 40 mil). Um apartamento de menos de 100 m² irá consumir ainda quase R$ 1 milhão de impostos e taxas de condomínio. Mas isso incluirá spa, cinema, bares, restaurantes, serviço de lavanderia, mordomo, faxineira e outros luxos 

Outro arranha-céu residencial que vai mudar a paisagem de Manhattan é o 111 West 57th

Previsto para ser entregue neste ano, o edifício tem 435 m e 82 andares

O preço das unidades começa em R$ 37,6 milhões (cerca de US$ 8 milhões)