Professora cria ‘árvore de livros’ para incentivar alunos – Guajara Hoje

Professora cria ‘árvore de livros’ para incentivar alunos

Professora cria árvore de livros
Arquivo Pessoal

Rita Marta Mozetti Silva, de 46 anos, cresceu vendo a mãe pegar um ônibus, caminhar por uma estrada de terra até chegar a sede de uma fazenda. Ali, um funcionário a levava de cavalo até uma pequena escola rural, onde dava aulas.

Essa foi a inspiração para a então menina e hoje professora da rede estadual desenvolver projetos e conquistar prêmios, como ser finalista das Olimpíadas da Língua Portuguesa.

Leia mais: Fazer o brasileiro ler é o maior desafio no Dia Mundial do Livro

“Eu tive uma referência em casa, minha mãe nunca desistiu de seus alunos, mesmo com chuva ou calor extremo, estava lá na fazenda todos os dias,” conta Rita. “Sempre que minha mãe tinha oportunidade, me levava com ela e eu sentava lá no fundo da sala de aula, ficava observando a dedicação dela com os alunos.”

As bonecas foram as primeiras alunas de Rita. “Meu pai pintou uma lousa em uma parede no quintal e ali já comecei a desenvolver os projetos de leitura, escrita e valorização da criatividade que uso hoje com meus alunos.”

Rita: inspiração veio da mãe
Arquivo Pessoal

Rita é professora da Escola Estadual Adalgisa de São José Gualtiéri, no Parque Progresso, na periferia de Franca, diretora de Alfabetização de Adultos, além de tutora do curso de Pedagogia da Anhanguera. É idealizadora do Projeto de Língua Portuguesa Pé de Livros Entre Amigos, que tem o objetivo incentivar o hábito de leitura entre os alunos do 5º ano.

Também criou o Projeto de Língua Portuguesa que conta com atividades que estimulam a escrita, como produção de resumos e críticas, e a leitura em voz alta, realizada durante o intervalo das aulas.

Para incentivar os alunos, Rita chegou a pendurar livros em uma árvore do pátio da escola e transformava a sala de aula em um clube de leitura, com as portas abertas para a família das crianças participarem dos debates. 

“Os projetos têm como foco o protagonismo do aluno, nada adiante ter um projeto maravilhoso se ele realmente não cumprir o papel que tem de cumprir — o desenvolvimento de habilidades, competência, aprendizagem a serem usados no cotidiano.”

Em comum, os projetos partem do processo de leitura “porque quem lê transforma e a leitura éa porta de entrada para que todos os componentes curriculares aconteçam de forma efetiva.” 

Projeto desenvolve leitura e escrita
Arquivo Pessoal

O reconhecimento veio nas Olimpíadas da Língua Portuguesa. “Trabalhei com meus alunos o gênero poema em sala de aula”, conta. “Uma aluna teve sua poesia classificada e as minhas práticas pedagógicas também foram selecionadas, um momento único em que senti a minha profissão sendo realmente valorizada, foi uma noite digna de Oscar.”

“Ser professora pra mim é ter a certeza que eu exerço a mais importante das profissões, é referência, mediador, orientador de um processo de aprendizado, de um processo que transforma a vida das pessoas”, se emociona. “Lido com sonhos, expectativas, projetos de vida, uma responsabilidade muito grande.”

 

Powered by WPeMatico